Você está em: Comunicação > Saiu na mídia

Saiu na mídia

22 de junho de 2018

Dia Mundial do Fusca: relembre 10 curiosidades sobre o Volkswagen

Por: Daniel Gaspar

Tags:

Bobla, Cuca, Kafer, Broasca… você tem ideia do que esses nomes significam? Bem, essas são apenas algumas formas como o Volkswagen Fusca é chamado ao redor do mundo. No pódio como um dos carros mais vendidos de todos os tempos, o compacto ganhou até dia para ser celebrado mundialmente: 22 de junho.

Lançado na Alemanha, em 1935, por Ferdinand Porsche a pedido de Adolf Hitler, o Volkswagen contava com motor refrigerado a ar, sistema elétrico de seis volts e câmbio seco de quatro marchas (sem marchas sincronizadas). Ao longo de seus 80 anos, o “besouro” evoluiu um bocado e colecionou muitas curiosidades. Lembranças que o tornaram um dos carros mais queridos de todos os tempos. Veja algumas delas:

1) Sair do papel não foi fácil

O primeiro protótipo do Fusca foi apresentado em 1932, porém, seu projeto só foi realmente aprovado após 40 tentativas trazidas por Porsche. Ao final de tanto trabalho, foi desenvolvido um V1, apelidado de “Kraft durch Freude” (“Força Através da Alegria”). Posteriormente surgiram outros protótipos, tais como os V2, VW3, VW30 e VW38. Por ter sido idealizado para ser acessível a todos os alemães, o automóvel (e depois a própria montadora)  passou a se chamar Volkswagen, ou “carro do povo”. Aqui vale uma curiosidade: o nome formal do modelo é Volkswagen Sedan. Ainda bem que os apelidos pegaram.

2) Carro familiar

A ideia de que o compacto deveria ser realmente acessível era levada a sério. Por exigência do ditador nazista, o projeto, obrigatoriamente, deveria trazer algumas características: ser capaz de carregar dois adultos e três crianças, além de ser capaz de manter a velocidade média de 100 km/h sem ultrapassar o consumo de 13 km/litro de combustível. Por fim, seu preço deveria ser menor do que mil marcos imperiais (ou o valor de uma boa motocicleta na época).

3) Pagamento antecipado

A “Gesellschaft Zur Vorbereitung des Deutschen Volkswagen” (“Sociedade para a Produção do Automóvel Popular Alemão”) e o grupo “Kraft durch Freude” (“Força pela Alegria”) ficaram responsáveis pela fabricação e vendas do Fusca. A princípio, o automóvel seria vendido por um sistema em que o interessado deveria pagar cinco marcos por semana e tomar posse do carro apenas depois de completar os pagamentos. Mesmo não sabendo quando teriam seus VW, cerca de 175 mil alemães aderiram ao plano.

4) O início das exportações

Em 26 de maio de 1938 foi inaugurada oficialmente a primeira fábrica do VW Sedan, na Alemanha. Porém, em 1939, com o início da Segunda Guerra Mundial, sua produção acabou sendo substituída pela de utilitários e anfíbios derivados do projeto do Fusca, o que paralisou a produção durante o conflito. Após esse período, o país, já dividido, retomou a produção na antiga fábrica sob o comando dos britânicos, em agosto de 1945. Para dar segmento aos trabalhos, os ingleses decidiram chamar Heinz Nordhoff para assumir a fábrica, em 1948, um ex-executivo da Opel. Logo Nordhoff percebeu que a única forma de expandir a linha de produção era investir na exportação dos Fuscas, particularmente para os Estados Unidos – foi a hora dos besourinhos fazerem sucesso mundo afora

O Fusca surgiu na Alemanha com a intenção de ser um carro acessível a todos (Foto: Reprodução)

Foto: Reprodução

Para ler a matéria original e completa, acesse o site www.revistaautoesporte.globo.com.

  • Marca SP