Cidade de São Paulo

9 de março de 2016

Dia Internacional da Mulher: conheça o perfil da mulher de negócios que vem à São Paulo

Por: SPTuris

Tags:

Ela tem 30 e 39 anos (33%), ensino superior completo (37%) e renda entre R$ 3.941 e R$ 7.880. Os dados pertencem a um levantamento realizado pelo Observatório de Turismo e Eventos, núcleo de pesquisas da São Paulo Turismo (SPTuris), que revela quem é a mulher de negócios que visita a cidade de São Paulo.

Automec_010414_Foto_JoseCordeiro_031

Automec. Foto: José Cordeiro/SPTuris

A pesquisa realizada no segundo semestre do ano passado ainda mostra que a maioria dessas empresárias e executivas viaja sozinha (58%), permanece em média 2,4 dias na cidade e tem um gasto médio no período (pessoal e corporativo) de R$ 830,98. Suas principais atividades em São Paulo são gastronomia, compras, vida noturna e visita a parentes e amigos.

Entre os atrativos mais visitados pela mulher de negócios estão: Avenida Paulista (39,4%), Rua 25 de Março (32,2%), Parque do Ibirapuera (26,10%), MASP (13,5%) e Mercado Municipal (13%). A avaliação geral da cidade foi positiva para mais de 70% das visitantes, que consideraram como bom ou ótimo os atrativos culturais (68%), opções gastronômicas (84%) e as opções de compras (85%).

Ocupação feminina nos meios de hospedagem

Outro estudo também realizado pelo Observatório da SPTuris em 2013 revelou um crescimento na presença de mulheres de negócios nos meios de hospedagem da capital paulista. O levantamento identificou crescimento médio de 5,2% em hóspedes mulheres motivadas por negócios e eventos.

A amostra revelou que, embora os homens ainda sejam a maioria (em média, 2/3 dos hóspedes em hotéis são homens), identificou-se uma tendência de crescimento de hóspedes do sexo feminino, e com este resultado, a rede hoteleira pode elaborar programas e serviços específicos para mulheres de negócios, como por exemplo, tratamentos de beleza.

A pesquisa revelou também que na maioria das vezes as mulheres viajam sozinhas (57,52%) ou com companheiros de trabalho (20,53%). Poucas vêm acompanhadas do cônjuge (8,35%), ou dos filhos (1,91%).